Agenda e Eventos

Formação intensiva
11 a 20 de setembro de 2015
Conservatório de Música de Coimbra


Promovido pela Suggestus – Inovação para o Desenvolvimento, Lda., esta formação intensiva tem a duração de 42 horas e o seu objetivo global é o de "apetrechar os participantes de competências diversificadas nas diferentes áreas da gestão de organizações e projetos".

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS [síntese]
Economia social e economia da cultura • O setor cultural e criativo • Os diferentes tipos de organizações culturais • Gestão estratégica • Pensamento estratégico • Análise e diagnóstico estratégico • Análise SWOT • Matriz de Boston • Stakeholders • Planeamento estratégico • Visão, Missão e Valores organizacionais • Metodologias de planeamento • Balanced Scorecard • Criatividade e inovação • Técnicas e ferramentas para geração de ideias [mapas mentais, árvore de problemas, diagrama espinha de peixe, seis chapéus do pensamento, crowdsourcing, etc.] • Definição de objetivos e estratégias • Definição de metas e indicadores • Estruturas e modelos organizacionais • Estruturas funcionais, multidivisionais e matriciais • O que é um projeto e a gestão de projetos • O que são projetos culturais • Ciclo de vida de um projeto: necessidade ou oportunidade, conceção, planeamento, execução, resultado, conclusão e avaliação • Diagramas de Gantt • Desenvolvimento e implementação de projetos • Monitorização e avaliação de projetos • Gestão da qualidade • O Gestor de projeto • Gestão de equipas em trabalho de projeto • Liderança e motivação • Mediação e resolução de conflitos • Financiamento de projetos • Mecenato, patrocínios e crowdfunding • Dossiê de apoios e patrocínios • Estudo de casos

OBJETIVOS
  • Compreender os diversos conceitos de cultura e as especificidades das organizações culturais, sociais, educativas e associativas:
  • Identificar o setor cultural no contexto económico e reconhecer as suas diferentes componentes;
  • Identificar e compreender as diferentes componentes do Planeamento Estratégico
  • Ser capaz de pensar e planear estrategicamente;
  • Identificar os conceitos fundamentais da gestão de projetos;
  • Reconhecer as especificidades da gestão de projetos imateriais, no setor cultural e terceiro setor;
  • Identificar o ciclo de vida dum projeto;
  • Distinguir as principais metodologias e ferramentas da Gestão de Projetos e aplicá-las;
  • Identificar e caraterizar as diferentes fontes de financiamento nacionais, comunitárias e internacionais segundo a tipologia dos projetos e organizações culturais;
  • Identificar e caraterizar os principais programas de financiamento de projetos, organizações e atividades culturais;
  • Identificar e caraterizar as diferentes modalidades de financiamento da cultura e, designadamente, reconhecer as diferenças entre mecenato e patrocínio;
  • Identificar e caraterizar as diferentes componentes dum dossiê de apoio e patrocínios e ser capaz de conceber um;
  • Ser capaz de escolher a modalidade de financiamento adequada ao seu projeto ou organização;
  • Ser capaz de verificar se o seu projeto ou organização é suscetível de ser financiado por algum dos principais programas de financiamento;
  • Ser capaz de selecionar as entidades financiadoras adequadas;
  • Identificar e caraterizar as diferentes técnicas, metodologias, modelos e ferramentas de gestão de equipas;
  • Ser capaz de aplicar estratégias de liderança adequadas;
  • Ser capaz de gerir conflitos numa equipa de projeto;
  • Compreender os conceitos de clima organizacional e cultura organizacional;
  • Ser capaz de motivar e mobilizar uma equipa e os seus membros individualmente considerados.

FORMADOR
Vítor Martelo

Mais informações aqui e aqui.


- - -

Seminário
Eva Vicente Hernández (Universidad de Valladolid)
23 de julho de 2012, 17h00, Sala 2, CES-Coimbra

Resumo
We explore the influence of organizational size on innovations in museums as well as its impact on museums’ economic, market and social performance. Secondly, we analyse how the (public–private) funding of such organizations impacts innovation and performance. The empirical work is based on information from a survey of 491 museums (British, French, Italian and Spanish). We find that museum size does prove relevant in the commitment to engage in innovation but that public funding of museums does not encourage innovation. We also highlight the importance of the explanatory power of the type of funding on the performance of these cultural organizations. This research also reveals how organizational and technological innovations as well as innovation in value creation in museums enhance economic, market and social performance.

Nota biográfica
Eva Vicente Hernández - Doctora en Economía y Premio Extraordinario de Doctorado en Economía de la Universidad de Valladolid. Profesora del Departamento de Economía Aplicada de la Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales de la Universidad de Valladolid desde 1995. Sus principales intereses de investigación son: la Economía de la Cultura, la Evaluación de Políticas y proyectos culturales. Profesora de los cursos de Doctorado de la Universidad de Valladolid y de diversos Master y Cursos de Especialista, entre los que destacan el Master en Turismo de Interior de la Universidad de Salamanca y el Curso de Especialista en Gestión Cultural de la Universidad de Oviedo. Ha participado como ponente invitada en diversos foros internacionales. Entre sus publicaciones recientes destaca “Políticas regionales y locales de tutela y valorización del Patrimonio Cultural. Actualidad, interacciones y perspectivas”. (coord.) Consejería de Cultura y Turismo. Junta de Castilla y León (en prensa).


Nota: Atividade no âmbito do Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitetura (CCArq).


- - -







19 a 22 de junho de 2012
VII Congresso da Associação Portuguesa de Sociologia
Sociedade: Crise e Reconfigurações
Faculdade de Letras
Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação
Universidade do Porto

 
Informação detalhada e atualizada sobre o Congresso aqui.
Programa provisório aqui.

 
O Congresso terá sessões temáticas dedicadas aos temas de "Arte, Cultura e Comunicação" e de "Cidades, Campos e Territórios".

Descrição:
No Mundo contemporâneo estão a decorrer processos de mudança social com uma amplitude sem precedentes nas últimas décadas. A sociedade Portuguesa não é uma excepção a esse padrão, marcado pela intensidade, volatilidade e, em muitos casos, dificuldade de explicação dessa mudança, não se devendo perder de vista as permanências e os imobilismos.
A chamada crise financeira, fortemente mediatizada e de largo impacte à escala mundial, nacional, regional e local, denuncia e ofusca a existência de movimentos de reconfiguração profunda das instituições sociais: educação, trabalho, família, justiça, economia, ciência. Mas a crise é, afinal, um fenómeno social total, que importa captar através de uma reflexão sociológica profunda, apontando pistas de superação num sentido emancipatório. Recorrendo a uma ideia central do pensamento de Michael Burawoy, Presidente da International Sociological Association, e 1º Conferencista do próximo VII Congresso Português de Sociologia, o apelo primordial deste Congresso vai no sentido de reconhecer a ciência sociológica como uma interpelação crítica e construtiva da sociedade. A comunidade científica está, hoje, diante de um desafio de elevado risco: claudicar da sua autonomia analítica e subscrever as teses apriorísticas e convencionais do discurso leigo sobre a sociedade, ou agarrar o seu desígnio da compreensão e explicação da complexa realidade social, não como uma narrativa coadjuvante, mas sobretudo como narrativa crítica e construtiva.
Ao longo de mais de 25 anos, os sociólogos Portugueses responderam à chamada da Associação Portuguesa de Sociologia, reunindo um espólio de irrefutável qualidade científica e quantitativamente muito expressivo, assumindo as suas responsabilidades éticas e profissionais perante o colectivo.
O VII Congresso Português de Sociologia, a realizar na Universidade do Porto nos dias 19 a 22 de Junho de 2012, inscreve-se nesta tradição científica e cívica, e com ele se procurará demonstrar, uma vez mais, a vitalidade da nossa comunidade sociológica e a oportunidade do exercício dos sociólogos no quadro dessas profundas reconfigurações societais.

- - -


Conferência Internacional INVTUR 2012
O turismo em tempos de mudança: 

Conhecimento e práticas na construção de um novo rumo para o sector
Universidade de Aveiro, Portugal
16-19 de maio 2012









A Universidade de Aveiro tem o prazer de anunciar a realização da Conferência Internacional INVTUR 2012 "Turismo em tempos de mudança: Conhecimento e práticas na construção de um novo rumo para o sector do turismo no futuro".

A Universidade de Aveiro tem o prazer de anunciar a realização da Conferência Internacional INVTUR 2012 "Turismo em tempos de mudança: Conhecimento e práticas na construção de um novo rumo para o sector do turismo no futuro".
A 1ª Edição da INVTUR teve lugar em 2010. A INVTUR 2010 atraiu académicos de 25 países, 335 autores e mais de 700 participantes. A Revista de Turismo & Desenvolvimento (RT&D) assumiu-se como a publicação oficial do evento, tendo, na altura, publicado um total de 196 trabalhos, organizados em 77 artigos, 93 resumos alargados e 26 resumos de posters. Todos os trabalhos foram submetidos a blind referee, seguindo padrões internacionais. A Conferência INVTUR 2010 foi a maior conferência académica da área do turismo até então organizada em Portugal e uma das maiores em termos mundiais.
A 2ª Edição da INVTUR 2012, que irá ter lugar na Universidade de Aveiro entre os dias 16 e 19 de Maio de 2012, e que irá novamente envolver uma vasta rede de Colegas das Universidades e Politécnicos de Portugal bem como de académicos de outras Universidades estrangeiras, terá como foco central o papel que o turismo pode vir a desempenhar num mundo crescentemente dominado por forte recessão económica, elevada incerteza em termos de evolução e organização social, e preocupante agitação social.
O mundo encontra-se a enfrentar uma vaga de mudanças sem precedentes: recessão económica; emergência financeira; taxas de desemprego crescentes; incerteza sobre o rumo que a sociedade deverá ter no futuro; dificuldade dos governos e dos políticos em estabelecerem uma agenda que oriente as suas politicas para o futuro; desenvolvimento de novas estruturas organizacionais capazes de enfrentar défices públicos e criar novas formas de governança; incerteza e decepção das comunidades locais em relação à forma como a economia e as organizações se encontram a enfrentar a actual situação económica e social.
O sector do turismo possui características que o colocam como um dos sectores com maior potencial para os governos e as empresas enfrentarem a actual situação de crise e a encontrar novos rumos para o futuro. O sector do turismo depende de uma rede de negócios multifacetado, que se operacionaliza de uma forma interligada na economia; é um sector de trabalho intensivo, e não de capital intensivo, o que lhe confere elevado potencial na criação de emprego; o sucesso do turismo depende fortemente do envolvimento das comunidades locais; o sucesso empresarial do turismo depende da sua capacidade em ser eficaz economicamente, socorrendo-se, contudo, da sua capacidade em se articular com as tradições,  e o ambiente natural e cultural.
A Conferência Internacional INVTUR 2012 irá posicionar-se como um palco onde académicos, investigadores e profissionais irão apresentar, e discutir, conhecimento, experiências e boas práticas que irão ilustrar a forma como o turismo pode ajudar a economia e a sociedade, num momento actual de mudança e incerteza. Os outputs da conferência serão de particular interesse para que académicos e investigadores possam vir a criar novas linhas de investigação e agendas de ensino, e para as empresas e organizações que operam na área, apresentando-lhes know-how e metodologias de actuação que as poderão vir a ajudar a encontrar novas fontes de conhecimento que lhes confiram vantagens competitivas, num mundo em que estas precisam de ser cada vez mais inovadores, eficientes e eficazes.
As línguas oficiais da conferência são o português e o inglês.
A BiT - Bolsa de Inovação em Turismo será uma iniciativa integrada na INVTUR 2012, cujo objectivo é afirmar-se como uma ‘montra de exposição’ de casos de sucesso, boas práticas, concepção e implementação de projectos inovadores por parte de empresas e organizações públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos, e de posters que apresentem projectos de investigação aplicada elaborados por instituições de ensino superior, pelos seus alunos ou por unidades e centros de investigação.

- - -







Conferência Internacional de Turismo
O Turismo e a Crise Internacional
20 de abril, Universidade Católica Portuguesa, Braga



 
A Católica Braga no âmbito do seu projeto educativo de formação superior na área do Turismo promove a sua 1ª Conferência Internacional de Turismo, no dia 20 de Abril, em Braga.

"O Turismo e a crise internacional" é o tema desta Conferência para o debate e reflexão sobre o Turismo em Portugal, que conta com prestigiados oradores nacionais e internacionais, do mundo académico, político, empresarial e institucional.

Que papel para o Turismo em tempos de crise?
Qual a importância do Turismo na Economia nacional?
Como é que à escala internacional o turismo tem respondido à crise?
Que impactos e caminhos face às medidas de austeridade no Turismo?
Quais os desafios ao maior setor exportador do País?

Estas são algumas das questões em debate na 1ª Conferência Internacional de Turismo da Universidade Católica Portuguesa, a 20 de Abril, em Braga.

- - -


Gabrielle Cifelli (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP / CES)


Resumo
A patrimonialização de áreas urbanas centrais e a mercantilização patrimonial consistem em importantes estratégias de desenvolvimento territorial.  Os bens patrimoniais dotados de um valor histórico e cultural representativo transformam-se em mercadorias valorizadas economicamente através do turismo. O Fomento à atividade perpassa pela utilização de estratégias de produção e promoção de imagens idealizadas de um passado imaginário a partir da seleção das referências materiais e imateriais da cultura. A comercialização das imagens sobre tais localidades influencia a criação de um sistema de representações a seu respeito, resultando numa nova dinâmica de usos do património e de apropriação seletiva dos territórios patrimonializados.

Nota Biográfica
Gabrielle Cifelli é doutoranda e Mestre em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp e licenciada  em Geografia pela Universidade Estadual Paulista – Unesp – Rio Claro. Docente do curso de Geografia na Universidade Cruzeiro do Sul - Unicsul. Investigadora do grupo: Geografia, Turismo e Patrimônio Cultural – Unicamp.

Comentadores/as: Claudino Ferreira (CES) e Carina Gomes (CES)