quinta-feira, 19 de abril de 2012

Dicionário das Crises e das Alternativas

O Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra acaba de publicar, numa edição da Almedina, o Dicionário das Crises e das Alternativas.

Nas palavras de Boaventura de Sousa Santos, diretor do CES, que assina o prefácio do livro, este foi um Dicionário elaborado "a pensar nas cidadãs e cidadãos comuns que, num momento difícil da sociedade portuguesa, são todos os dias bombardeados com notícias cujo alcance nem sempre entendem, mas que sabem trazerem más novidades para as suas vidas."


Escrito em tempo recorde, conta com mais de 200 entradas escritas por 114 investigadores do Centro. A coordenação global do trabalho foi da responsabilidade de Ana Cristina Santos, Bruno Sena Martins, João Paulo Dias, João Rodrigues e Margarida Gomes, investigadores do CES, secretariados por Sílvia Lima, secretaria-executiva do CES-Lisboa, e assessorados por uma comissão técnica e científica constituída por António Sousa Ribeiro, José Castro Caldas, Manuel Carvalho da Silva, Rui Bebiano e Teresa Tavares.



A primeira entrada é "25 de Abril", escrita por Rui Bebiano. Segue-se-lhe "AAA (agências de notação), da responsabilidade de José Reis, e termina com "Wikipédia", escrita por José Luis Exeni Rodríguez. Pelo meio, e para os temas que aqui interessa discutir, encontram-se vocábulos como "Cidade Criativa" e "Enobrecimento Urbano", de Carlos Fortuna, "Ciências Sociais", de João Arriscado Nunes, "Criatividade", de António Pinho Vargas, "Espaço Público" e "Lazer", escritos por Claudino Ferreira, "Globalização", por Boaventura de Sousa Santos, "Identidade", de António Sousa Ribeiro, "Património", por Paulo Peixoto e "Turismo", por Carina Sousa Gomes.
O dicionário, as suas entradas e os textos escritos estão todos abertos a discussão. O CES propõe-se agora a criar uma nova edição, interativa, onde possam ser incluídas entradas sugeridas pelos leitores. Os mesmos leitores podem ainda comentar as entradas já publicadas na edição em papel. Para isso, basta enviar uma mensagem para dicionario@ces.uc.pt, indicando no assunto "Nova Entrada", no primeiro caso, ou "Comentário à Entrada", no segundo caso.
O Dicionário das Crises e das Alternativas foi assim chamado, no plural, porque, nas palavras de Boaventura de Sousa Santos, "não vivemos uma crise mas sim uma pluralidade de crises sobrepostas [...]. Do mesmo modo, o pensamento único que subjaz às políticas de austeridade em curso não se combate com uma alternativa única, mas sim com um pensamento plural..." (Jornal de Letras, 18 de abril, p.30).
O Dicionário foi distribuído ontem com o Jornal de Letras, Artes e Ideias, e hoje com a Revista Visão.